Investimento em ouro: rentabilidade anual média de 10% nos últimos 10 anos

Investimento em ouro

O ouro continua a ser visto como um investimento seguro e quase certo. Mas, será mesmo assim? Podemos afirmar que sim! Aliás, como já viu pelo título, nos últimos 10 anos, investir em ouro ofereceu uma rentabilidade anual média de 10%. No artigo de hoje, vamos olhar à lupa para o investimento em ouro e explicar-lhe porque continua a ser uma boa aposta. 

Porquê investir em ouro?  

Antes de tudo, importa saber porque é tão valioso o ouro. Afinal, que propriedades tem este elemento para ser tão procurado? 

  • É um material escasso e limitado; 
  • É duradouro e bastante resistente; 
  • É difícil de falsificar; 
  • É divisível, estável e homogêneo. 

Mas há um outro fator que faz com que o ouro seja um investimento a ter em conta. Quando os mercados começam a dar sinais de incertezas, o preço do ouro tem tendência a valorizar. Olhemos para o que aconteceu em 2008, quando enfrentamos uma crise mundial. Desse ano até 2012, o preço do ouro aumentou 50%. Agora, com a crise pandémica, o preço do ouro atingiu máximos históricos: acima dos dois mil dólares por onça.

Como investir em ouro? 

Na prática, há duas formas de investir em ouro: comprando ouro físico ou adquirindo títulos de direito ao ouro. Quais as diferenças e vantagens de cada um? 

Investir em ouro físico 

O investimento em ouro físico continua a ser a alternativa mais comum e tradicional e consiste na aquisição de barras de ouro, jóias, moedas e outros artigos que tenham ouro na sua composição. Porém, esta opção apresenta uma desvantagem: os custos de armazenamento. Por ser valiosíssimo, não é um material que queira ter em casa. O melhor será mesmo contratar empresas especializadas em guardar e preservar o seu ouro em segurança. 

Adquirir ouro físico é a forma mais tradicional de investimento

Investir em papel dourado 

Na prática, está a possuir um título, um direito sobre o ouro e não a possuir o ouro em si, físico.

ETFs de ouro 

ETF’s são fundos que tentam prever e simular o comportamento do ouro. Ao investir e ao ser detentor de contratos de derivativos (ETF) está a replicar o preço do ouro. As vantagens e desvantagens são as mesmas de qualquer investimento a partir de ETFs. A principal vantagem é que os custos são mais baixos e apresentam maior liquidez comparativamente a fundos de investimento. A principal desvantagem é que o investidor não possui outro físico, mas um título numa reserva. Além disso, há sempre a possibilidade de não replicar o preço do ouro fidedignamente. 

Segundo o World Gold Council, os ETF de ouro correspondiam a quase 20% da procura mundial no ano de 2019. Nos primeiros seis meses de 2020, os ETF compraram 734 toneladas de ouro, o que correspondeu a 35% da procura. 

Trading de Ouro com CFDs

CFDs, ou Contratos por Diferença, são outra forma de investir em ouro. Com eles, os traders têm a capacidade de utilizar a alavancagem, negociando com margem para controlar uma grande posição com um pequeno depósito. Além disso, pode entrar e sair dos mercados quando quiser e escolher manter posições durante dias, semanas ou meses. 

O ouro não tem um valor constante e tanto pode desvalorizar como voltar a valorizar algumas horas depois. Ainda assim, constitui um bom investimento para incluir nos seus ativos. 

Quero investir em ouro! A que impostos estou sujeito? 

Em termos fiscais, aplicar o seu dinheiro em outro é mais vantajoso que outras formas de investimento. A compra de outro para investimento, como barras ou moedas de outro, está isenta de IVA. Se mais tarde decidir que quer vender o seu ouro, não fica sujeito ao pagamento de mais-valias. 


Se tiver alguma dúvida sobre o investimento em ouro, não hesite em contactar-nos. Somos especialistas em compra e venda de ouro e podemos esclarecê-lo sobre como investir e como tirar o melhor dos seus ativos.                       

Mais Informações


    Social Share Buttons and Icons powered by Ultimatelysocial